10 MANUAIS DE JORNALISMO GRÁTIS E EM PORTUGUÊS  

 

Agora ficou fácil de pesquisar vários temas sobre o Manual de Jornalismo

 

Pensando nos alunos de jornalismos e os próprios jornalistas, fizeram um manual com a lista dos 10 guias digitais totalmente grátis. Contendo os seguintes temas: “Manual de Jornalismo de Dados”, Manual de Revista Customizada, Manual de Jornalismo Televisivo, Manual de Jornalismo de Rádio, Manual de web jornalismo, “Manual de MYSQL para Jornalistas”, Manual de Teoria da Comunicação, “Manual de Jornalismo Impresso”, Manual de Direito Penal para Jornalistas, Manual de Redação da EBC.

Para ter acesso é muito fácil, só fazer o download, é clicar nos títulos em azul.  Alguns arquivos estão em PDF começará a ser baixado automaticamente outros é necessário fazer um cadastro de e-mail antes. Os arquivos dos manuais alguns estão online, o que significa que poderão ser lidos somente com um navegador web, como é o caso do Manual de Jornalismo de Dados.

Você também encontra diversos cursos grátis, que estão abertos online, é só procurar com calma que encontrara um curso interessante que queira aprender. Como por exemplo, estes cursos que estão abertos.

Leia mais artigos de interesse para jornalistas neste blogue:

Os 10 manuais de jornalismo com certeza ira ajudar na pesquisas dos alunos e jornalistas que estiverem com alguma duvida, é só dar uma pesquisada no site. E encontrá-la mais rápido o que esta procurando.

Não se esqueça de compartilhar e divulgar com seus amigos nas redes sociais o site dos 10 manuais de jornalismo grátis.

Advertisements

A nova lei da Transparência Pública

 

 

Agora o governo tem obrigação de divulgar os gastos que esta fazendo no seu governo

 

   Com as novas tecnologias descobriram o chamado Bib Data, que corresponde uma grande quantidade de dados existentes na internet, é a impressão digital de cada usuário deixando um acesso nas redes de computadores. Como podemos utilizar esses dados para os nossos próprios negócios? O Big Data também podem ser utilizados pelos jornalistas.

   O jornalismo de Dados é muito utilizados e possui uma utilização importante na internet que vai alem da geração de leads nas redes sociais. Constitui um formato na estação, construção, filtragem, analise e apresentação de bases de dados, na qual geram noticiais. Os jornalistas de dados sempre estão fazendo debates ao mundo todo sobre a lei da transparência. O principal é as noticiais de dados, no qual sejam abertos para os públicos. Ocasionando um papel importante na informação precisa para a sociedade.

    Nos EUA, por exemplo, possui uma cultura de disponibilidade para o Jornalismo de Dados. No Brasil, não possuía essa disponibilidade, só aconteceu em 2009, que criou a Lei da Transparência, a primeira iniciativa de dados públicos na internet, mas não é suficiente. A publicação da Lei de Acesso a Informações significa um importante passo para a consolidação democrática do Brasil e também as ações de prevenção da corrupção no país.

   A Lei nº 12.527, sancionada pela Presidente Dilma Rousseff entra em vigor desde o dia 16 de maio de 2012, qual quer cidadão possui o direito a informações custodiadas por órgãos públicos, em todos os poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e níveis de governo (União, Estados, Municípios e Distrito Federal), desde que não estejam classificadas como sigilosas.

Sigilo de documentos

   Há três tipos de documentos confidenciais, cada qual com seu prazo para duração do sigilo.

   Ultra-secreto – 25 anos, renovável por apenas mais um período de 25 anos;

    Secreto – 15 anos. Não renovável;

   Reservado – 5 anos. Não renovável.

   Após esses prazos, automaticamente os documentos são liberados. O Maximo que os documentos podem ser mantido em sigilo é de 50 anos.

Artigo 5º

   XXXIII – Todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado.

o Brasil é reconhecido internacionalmente como referencia em matérias de divulgação espontânea de informações governamentais à sociedade, principalmente no que diz respeito aos recursos orçamentários. Essa divulgação espontânea recebe o nome de transparência ativa.

Conheça algumas principais transparência ativa brasileiras. São elas Contas Abertas, Transparência Brasil e TransparencyInternational

 

 

Tecnologia Mais notícia e menos burocracia: O desafio para…

www.cartapotiguar.com.br/…/mais-noticia-e-menos-burocracia-o-jornalis

   O significado do jornalismo de dados

 

 

 

O significado, “dados” e “jornalismo”, são muito problemáticos.  Quando se fala em “dados” as pessoas geralmente pensam em números na hora. Há 20 anos, atrás os jornalistas só lidavam com esse tipo de dados. O mundo atual que vivemos se tornou um mundo digital, tudo que se escreve é por códigos de números.

   Todos os arquivos seus, por exemplo: 500 mil documentos confidenciais, em torno do seu circulo de amizades, são escritos com apenas dois números: zeros e uns. Fotos, vídeos e áudios também são escritos em números: zeros e uns.  Todas as informações vindas pela internet são por números.

   O jornalista de dados possui uma ferramenta hoje em dia muito mais rápido para fazer uma reportagem, a internet diferenciando das tradicionais. É mais rápido para transmitir a noticia, podendo atualizada a cada momento. toda vez que aparece um novo dado da noticia ele atualiza a matéria na hora. Enquanto as tradicionais não conseguem essa rapidez.

   Com a internet também podem fazer jornalismo investigativo, em qual quer parte do mundo. Descobrindo o que o governo local, a policia e outras fontes civis estão fazendo de errado com o dinheiro do povo.

   Como Adrian Holovaty fez no Chicago crime e depois no Everyblock; seja usando um software para achar conexões entre centenas de milhares de documentos, como o The Telegraph fez com o MPs’ expenses.

Chamado para ajudar a investigar os gastos dos Membros do Parlamento (MPs) – (tem Guardian)

   O jornalismo de dados é uma ferramenta importante para os jornalista, utilizando principalmente os infográficos para fazer uma reportagem bem elaborada e chamativa. Por exemplo, as palestras espetaculares de Hans Rosling para visualizar a pobreza no mundo com o Gapminder atraíram milhões de visualizações em todo mundo. E o trabalho popular de David McCandless em destrinchar grandes números — como colocar gastos públicos dentro de contexto, ou a poluição gerada e evitada pelo vulcão islandês — mostra a importância de um design claro, como o do InformationisBeautiful. 

http://datajournalismhandbook.org/pt/introducao_0.html#sthash.1vTkMX7B.dpuf

 

 

 

Jornalismo de dados no Brasil

 

 

O novo conceito de fazer jornal através dos rackers e os jornalistas independentes

Sim o jornalismo de dados possui no Brasil. Não como uma grande mídia. O que esta acontecendo são algumas mudanças profundas. Entre elas os principais motivos:

Os principais jornais mantêm a publicação dos horóscopos sem se preocupar no que escreve. As TVS nacionais fazem matérias de virgens e santos como fatos e não ilusões. As principais revistas semanal de informação geral possui uma péssimo visual e grosseria no critério estatístico. Isso tudo pode ocasionar um clima propicio para não ocorrer o desenvolvimento do trabalho e das matérias não obtendo um bom desenvolvimento da profissão.

O diploma não é obrigatório para exercer a profissão do jornalismo. As empresas de comunicação exigem o diploma para dificultarem na hora de arrumar emprego para os jornalistas. O departamento de jornalismo não sente a necessidade de ampliar e renovar os conhecimentos dos seus profissionais, através de treinamento com habilidades conceituais e tecnológicas. Devido contratar somente quem possui um diploma de jornalismo.

Os jornalistas diplomados não possuem uma bagagem qualificada nos conhecimentos científicos ou técnicos profundos. Muitas vezes nem sabem ler uma tabela de números, colocarem os contextos e nem extrair histórias que é o principal.

As grades mídias muitas vezes utilizam especialistas nas áreas (cientistas, economistas, sociólogos, etc.), como o repórter tem que fazer uma entrevista ou matéria com uma linguagem bem popular para as pessoas entender o assunto, devido na ciência e economia possui muitas palavras complicadas e imensos números e porcentagens. A maioria da população não entende do assunto, ate mesmo os jornalistas possuem dificuldades de entender o que os especialistas estão falando.

Nos dias de hoje ate mesmo as melhores jornais de Comunicaçao dos EUA — The New York Times, The Washington Post, The Boston Globe, LA Times, Pro Publica, The Texas Tribune — estão conseguindo: formar equipes multidisciplinares que possuem profundo conhecimento de jornalismo de dados, visualizações e infográficos interativos.

Vendo tudo isso no Brasil o jornalismo de dados e a visualização pode crescer todos os dias.

Com a iniciativa dos grandes veículos jornalísticos, de formam um pequeno grupo de profissionais com vontade de fazer boas matérias. Como a equipe Estadão Dados e o blog Afinal de contas, de Marcelo Soares na Folha de S. Paulo são bons exemplos.

Possuem outros projetos isolados, sendo feitos pelas revistas Época e Veja, e jornais como o Correio, na Bahia, o Estadão, e a Folha. Esta faltando dar continuidade neste projeto.

Não são somente as mídias tradicionais que fazem excelentes matérias. Os que trabalham na área de design e visualização também estão fazendo excelentes trabalhos entre eles. InfoAmazonia e sua impressionante combinação de bancos de dados e representação cartográfica; o Radar Parlamentar, que analisa matematicamente os padrões de voto dos congressistas; as propostas resultantes do W3C, como o Retrato da Violência Contra a Mulher no RS e Para Onde vai Meu Dinheiro; e o projeto Escola que queremos.

Os rackers e os jornalistas independentes são importantes para o dia de hoje. Estão fazendo uma nova informação publica, no qual o futuro esta aberto a vários tipos de informações veiculadas no qual mudam todos os dias.

http://datajournalismhandbook.org/pt/na_redacao_6.html#sthash.NCxCAM03.dpuf

O novo formato de fazer jornalismo na web

Para nós, jornalistas o jornalismo de dados é algo novo e desconhecido.  Para fazer um excelente jornalismo de dados, precisamos de conhecimentos técnicos em informática para poder fazer um jornal bem mais elaborado e simplificado para chamar a atenção dos internautas.

Os jornalistas que trabalham na web utilizam matérias feitas de outros jornais, devido já esta pronta e eles não possuem muito tempo para fazer matéria de reportagens. Devido a cada novo fato da matéria a matéria já mudou.  O jornalista quando trabalha num projeto de dados, ele cria pequenos códigos no qual  podem ser reutilizados ou atualizados. O próximo projeto demorar a metade do tempo devido ele já saber o que deve fazer ou não fazer,  possui  partes e pedaços no qual  podem ser reaproveitados.

No jornalismo tradicional, como o jornal, rádio e a TV, temos que pensar no começo meio e um fim. E suas matérias jornalísticas não mudam constantemente, tem o tempo certo para informar, se caso tiver um novo fato da matéria tem que fazer plantão e divulgar a noticia ou esperar chegar ao outro dia como o jornal impresso e nos telejornais chegarem à hora de começar.

Enquanto na internet, também tem o começo só que as pessoas olham o site e tem a primeira impressão da interface. Depois esta por si próprio. E pode ficar por um minuto ou por meia hora. Vai depender da matéria que o jornalista escreveu para chamar a atenção do internauta.

A quantidade de dados que possui e imensa, temos que ajudar os internautas a escolher uma matéria, mais fácil de ler, sendo objetivo e com matérias atraentes que consegue conquistar o publico todos os dias. Não é uma coisa fácil. Por que os internautas nem sempre são fieis de acompanhar o seu site.

As novas tecnologias mudam todos os dias, as maquinas ficam cada vez mais atraente ao consumo das pessoas. Mas o jornalista não pode esquecer que os seres humanos não mudam com frequência eles possuem sua própria opinião, e segue o que mais interessa para ele. O jornalista sempre precisa achar um ponto de equilibro para conquistar todos os dias os seus leitores ou internautas. Não é uma tarefa fácil mais é prazeroso fazer uma matéria bem elaborada e conseguir chamar a atenção deles. 

http://datajournalismhandbook.org/pt/na_redacao Nossas Histórias Vêm Como Código

 

 

Marco Civil da Internet

O Brasil esta tentando regulamentar a lei Marco Civil da internet que começou 2009, e foi só aprovada no dia 26 de março de 2014. Essa nova lei regulamenta os direitos e deveres para quem usa rede. Com objetivo das pessoas poderem expressar suas opiniões sem ser censurado.

Ouve rumores de que o Brasil estava sendo espionado pelos EUA, a Presidente Dilma Rousseff e a Ministra das Relações Institucionais Ideli Salvatti, ao ver essa noticia ficaram preocupadas, e imediatamente aprovaram a Lei Marco Civil da internet, garantido a liberdade de expressão e conhecimento.

A Lei Marco Civil permite o sigilo de qualquer divulgação ou informação, só poderá ser divulgado através de um mandato jurídico. No caso de investigação.

A lei Marco Civil, esta causando uma divisão entre as pessoas, uns apoiam a lei e outros estão contra ela. A Associação Nacional de Delegados da Policia Federal, esta contra a lei, devido esta violando a Constituição. Comprometendo a segurança das pessoas a honra e imagem. A nova lei vem para ajudar as pessoas a ficarem mais seguras para poderem expressar suas opiniões sem restrições ou qual quer tipo de represaria. E os dados e informações terão que ser guardados e armazenados dentro do próprio Brasil por maior segurança.

A nova lei é um importante passo para o fortalecimento de expressão da internet no Brasil. Tem que aprimorar a lei, a consumidor, privacidade, proteção da criança e adolescente.

 

 

 

1.   Marco Civil da Internet – Wikipédia, a enciclopédia livre

pt.wikipedia.org/wiki/Marco_Civil_da_Interne