Jornalistas de dados cidadãos

As mesmas informações úteis para o jornalista de dados também podem ajudar repórteres cidadãos acessar a região onde vivem e transformá-las em matérias. Essa foi à principal motivação do projeto de mídia cidadã “Amigos de Januária”, apoiado pelaRising Voices, da Global Voices Online, e pela organização Artigo 19. Entre setembro e outubro de 2011, jovens moradores da cidade de Januária, no norte de Minas Gerais, uma das regiões mais pobres do Brasil, tiveram aulas sobre técnicas básicas de jornalismo e monitoramento do orçamento público. Aprenderam como preencher formulários de pedidos e como acessar bases de dados oficiais na internet.

Januária, uma cidade com cerca de 65 mil habitantes, é conhecida pelo fracasso de seus políticos. Durante três mandatos municipais, teve sete prefeitos. A maior parte foi removida do cargo devido a denúncias que apontavam má condução da administração municipal, incluindo corrupção. Cidades pequenas como Januária não atrai atenção da mídia, que foca em capitais e outros municípios de grande porte. No entanto, existe espaço para que os moradores dessas localidades ajudem a monitorar a administração pública, já que conhecem os problemas enfrentados pela população. Tendo como auxilio a internet para ajudar, podendo acessar de forma mais fácil e rápida informações como orçamento municipal e outros dados.

Depois de participar de varias aulas, alguns repórteres cidadãos de Januária começaram a acessar dados públicos sobre a cidade e a produzir matérias. Houve diversas descobertas iniciais levantam muitas questões sobre as possíveis razões para a divergência entre os dados e a realidade de Januária. Um exemplo é os dados do SUS que estava errado, o que poderia indicar que há um problema na qualidade das informações. Outra é que Januária estaria informando dados errados para o SUS. A situação em Januária é complicada por causa do número de veículos na cidade. De acordo com o IBGE, Januária tinha 13.771 veículos, entre 7.979 eram motos, em 2010. A população da cidade acredita que o atraso em arrumar o semáforo não é resultado da falta de recursos. A cidade recebe R$ 470 mil em taxas de veículos em 2010. De acordo com os dados Januária tinha muitos veículos, quase um para cada cinco habitantes, e que um semáforo quebrado em um cruzamento movimentado poderia colocar muitas pessoas em risco. Também pode revelar o volume de recursos recebidos pela cidade em pagamento de impostos pelos proprietários de automóveis e, baseado nessa informação, questionar se o dinheiro não seria suficiente para consertar o semáforo, oferecendo mais segurança para motoristas e pedestres.

Os dados também podem ser usados por repórteres cidadãos. Não é preciso estar em uma redação para usar dados em matérias jornalísticas.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s